Tóquio: O que fazer em sua viagem

Tóquio é uma cidade futurista, mas que também traz muito conhecimento histórico e templos com arquitetura de cair o queixo.

Imenso centro empresarial e cultural, com uma população de dezenas de milhões, Tóquio também é um caldeirão cultural, onde os japoneses interagem com cidadãos de todo o mundo. A mídia costuma focar na moda vibrante de Harajuku, nos restaurantes robotizados, nos cafés a fantasia e nos fanáticos por animê conhecidos como otaku. Ainda que inovadora, Tóquio preserva a tradição através de seus jardins históricos, santuários e templos.

Tóquio: informação, curiosidades, dicas e pontos turísticos
Santuário em Tóquio

Famosa por sua atenção extrema aos detalhes, a capital do Japão abriga algumas das melhores comidas japonesas do país, com 234 restaurantes com estrelas Michelin – mais do que qualquer outra cidade. Sejam quais forem seus interesses culturais, é provável que Tóquio tenha o que você procura. Com museus e galerias de nível internacional, vida noturna diversa e tecnologia de ponta, é impossível sentir tédio em Tóquio.

RESTAURANTE TOKYO, João Monlevade - Comentários de restaurantes -  Tripadvisor
Exemplo de Culinária em Tóquio


Clima em Tóquio
Tóquio tem quatro estações distintas. A primavera é amena, seguida por verões quentes, úmidos e pontuados por tufões. O outono em Tóquio é fresco, seguido por invernos frios. A neve é rara, mas cai principalmente nos primeiros meses do ano. A previsão semanal de Tóquio é um guia preciso do clima da semana seguinte.

Como chegar

Tóquio conta com dois aeroportos internacionais, Haneda e Narita. Deles, você pode chegar ao centro da cidade por ônibus-limusines ou comuns, além do monotrilho (Haneda) ou trens. O Narita Express (N’EX) e o Keisei Skyliner são trens JR e privados que conectam Tóquio ao Aeroporto Internacional de Narita.

Não perca

  • Explore a variedade estonteante de restaurantes e opções gastronômicas de Tóquio, de cafés temáticos à alta culinária
  • Confira os mais novos produtos eletrônicos e gadgets em Akihabara, e dê uma espiada na cultura animê.
  • Experimente a cultura jovem de Harajuku e Shibuya, as capitais da moda de Tóquio
  • Visite o Sensoji, templo mais famoso de Tóquio, antes de descer o Rio Sumida e entender a importância dos canais na era Edo de Tóquio.

Curiosidades

A história do Japão é a sequência de eventos ocorridos no arquipélago japonês, com o surgimento de factos únicos influenciados pela sua natureza geográfica enquanto nação insular, assim como por eventos inculcados por influência do império Chinês que definiram a sua língua, a sua escrita e também a sua cultura política. Por outro lado, o Japão foi ainda influenciado pelo Ocidente, convertendo-se numa nação industrial, mas manteve os laços com a tradição cultural do país. Exerceu uma influência significativa e expansão territorial na região do Pacífico, mas após a Segunda Guerra Mundial estacou.

Após a última idade do gelo, por volta de 12 000 AEC, o rico ecossistema do arquipélago japonês promoveu o desenvolvimento humano. O aparecimento das primeiras pessoas no Japão data do Paleolítico, há cerca de 35 000 anos. Entre 11 000 e 500 AEC, estes povos desenvolveram um tipo de cerâmica designada de Jomon, a qual é considerada das mais antigas do mundo. Posteriormente surgiu uma cultura conhecida como Yayoi, onde a produção de ferramentas de metal, assim como o cultivo do arroz, foram um importante progresso.

Neste período existiram várias tribos, porém foi no período Yamato que se fez notar maior predominância de povos. Séculos depois, os governantes deste período reforçaram a posição do país e começaram a disseminar-se por todo o arquipélago sob um sistema centralizado, comprimindo as inúmeras tribos existentes e alegando a própria ascendência divina. Entretanto, o governo central havia começado a assimilar os costumes próprios da Coreia e da China.

Esta rápida imposição de tradições estrangeiras, contudo, produziu uma certa tensão na sociedade japonesa e, no ano 794, a corte imperial fundou uma nova capital, Heian-kyō (actual Quioto), dando origem a uma cultura aperfeiçoada da aristocracia. Apesar disso, o sistema centralizado fracassou nas províncias e iniciou-se um processo de privatização de terras, dando origem a um colapso na administração e ordem públicas. A aristocracia necessitava então da ajuda de guerreiros para proteger a suas propriedades – mais tarde denominada a classe samurai.

Deixe um comentário