Conhecendo o Peru #2: Machu Picchu

Machu Picchu, “velha montanha” também chamada ” cidade perdida dos Incas”, é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2 400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru. Foi construído no século XV, sob as ordens de Pachacuti.

Machu Picchu

O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua localização original e características geológicas, quer devido à sua descoberta tardia em 1911. Apenas cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixe entre as pedras.

A construção original é formada por pedras maiores, e com encaixes com pouco espaço entre as rochas. Consta de duas grandes áreas: a formada agrícola principalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, praças e mausoléus reais. A disposição dos prédios, a excelência do trabalho e o grande número de terraços para agricultura são impressionantes, destacando a grande capacidade para sociedade.

No meio das montanhas, os templos, as casas e cemitérios estão distribuídas de maneira organizada, abrindo as ruas e aproveitando o espaço com escadarias. Segundo a história inca, tudo planejado para a passagem do deus sol.


O lugar foi elevado à categoria do Patrimônio mundial da UNESCO, tendo sido alvo de preocupações devido à interação com o turismo por ser um dos pontos históricos mais antigos do Peru. A organização suíça New Open World Corporation (NOWC) em votação mundial gratuita pela internet e ligações telefônicas (mais de 100 milhões de votos pelo mundo) e com analise de arquitetos e arqueólogos classificou Machu Picchu como umas das sete maravilhas do mundo moderno.

Há diversas teorias sobre a função de Machu Picchu, e a mais aceita afirma que foi um assentamento construído com o objetivo de supervisionar a economia das regiões conquistadas e com o propósito secreto de refugiar o sóbrio Inca e seu séquito próximo, no caso de ataque.

Em 2019 foram estabelecidas novas regras de visitação em Machu Picchu. Os ingressos agora separam os grupos em 9 horários de entradas diferentes (das 6h às 14h, com um grupo a cada hora). As visitas terão duração máxima de quatro horas.

No momento da compra, você deverá decidir pela visita da cidadela apenas ou se prefere incluir uma das montanhas − Machu Picchu ou Huayna Picchu –, acessíveis por trilha.

As compras podem ser feitas no site oficial a partir de seis meses antes do passeio. Se decidir pela subida às montanhas, o seu ingresso à cidadela deverá obrigatoriamente ocorrer no horário da manhã. 

Com a nova medida, os turistas também são obrigados a contratar um guia turístico e três circuitos de visitação foram definidos. Caso o visitante queira voltar ao sítio histórico pela segunda vez na mesma viagem, não é necessária a contratação de guia, bastando a apresentação do ingresso da primeira visita (mais ainda é necessária a compra de um novo ticket).

Conforme uma nova regra do parque, o visitante tem que sair do parque ao terminar o circuito, impedindo o reingresso, que antes permitia duas entradas no mesmo dia com apenas um ingresso. Agora, como o horário de entrada é restrito, se o visitante quiser voltar, será preciso comprar um novo bilhete.

Objetos como pau de selfie, tripé, mochilas muito grandes, sombrinhas, bebidas alcoólicas, carrinhos de bebê e drones passaram a ser proibidos no local. Veja aqui uma lista completa de itens proibidos.

A palavra Peru é, provavelmente, derivada de Birú, o nome de um governante local que morava perto da Baía de São Miguel, no Panamá, no início do século XVI. Quando os seus domínios foram anteriores por exploradores espanhóis em 1522, eles eram a parte mais meridional do “Novo Mundo” conhecidos pelos europeus.

Assim, quando Francisco Pizarro explorou as regiões mais ao sul, as designou de Birú ou Peru. A Coroa Espanhola oficializou o nome do território em 1529, com a Capitulación de Toledo, que designou o recém-encontrado Império Inca como a Província do Peru. Sob o domínio espanhol, o país era denominado Vice-Reino do Peru, que posteriormente se tornaria a República Popular do Peru, após a guerra da independência do país.

Deixe um comentário